Entretanto, apesar de ser uma harmonização naturalmente agradável, é bom lembrar que assim como cada vinho e seu tipo de uva, cada tipo de queijo possui suas características particulares. E os sabores de ambos devem estar em sintonia para que o momento de degustação seja extremante agradável e saboroso.

É claro que você pode não concordar muito com as dicas dos especialistas e degustadores profissionais, afinal as preferências pessoais são bem peculiares e diferentes. E elas devem ser sempre levadas em consideração, com certeza.

Em primeiro lugar, é preciso ter em mente a regra mais importante de todas: o sabor do queijo não deve ser mais marcante que o sabor do vinho e vice versa.

Em outras palavras, queijos e os vinhos devem ter a capacidade de proporcionar sensações igualmente perceptíveis aos nossos paladares.

 

POR EXEMPLO:

  • Um vinho tinto muito encorpado como o italiano Barbaresco não combina com queijo tipo muçarela.
  • Um vinho branco como o italiano Verdicchio ficará com aroma intimidado quando consumido combinado com sabor marcante do provolone.
  • Em ambos os casos, os sabores do vinho e do queijo irão se perder com a harmonização inadequada.

 No entanto, algumas dicas básicas de harmonização vão ajudar você a não errar feio quando precisar harmonizar queijos e vinhos para um grupo de pessoas.

 

Queijos Frescos

São queijos que combinam com vinhos brancos leves, que possuem aroma refrescante, mas com uma acidez mais elevada, para contrabalancear com a acidez dos queijos.

Exemplos de queijos frescos: minas frescal, brie, ricota, queijo coalho, muçarela e muçarela de búfala.

Vinhos para harmonizar: Sauvignon Blanc, Chardonnay, Albariño e Muscadet e espumantes.

 

Queijos de Média Maturação

É um tipo de queijo adequado para acompanhar vinhos tintos leves e levemente frutados.

Exemplos de queijos média maturação: cheddar, meia-cura e prato.

Vinhos para harmonizar: Merlot, Marzemino e Grignolino.

 

Queijos de Maturação Longa

Quando são servidos apenas como aperitivos o recomendado é que sejam harmonizados com espumantes secos ou champanhe, mas quando são servidos em uma refeição, combinam bem com grandes vinhos.

Esses queijos apresentam sabores mais fortes e complexos, com acidez bem mais acentuada e é bom evitar a disputa com os taninos de alguns vinhos tintos.

Exemplos de queijos maturação longa: parmigiano reggiano, provolone, pecorino, grana padano e cheddar maturado

Vinhos para harmonizar: Chianti, Brunello, Barolo, Taurasi, Cannonau, Barbaresco, Rhône e Bordeaux.

 

Queijos Azuis

Vão bem com vinhos tintos frisantes ou com vinhos brancos aromáticos.

Exemplos de queijos azuis: roquefort, gorgonzola e stilton

Vinhos para harmonizar: Porto Vintage, Sauternes, Bonarda, Barbera, Lambrusco, Sauvignon ou Gewürztraminer

 

Alguns dos vinhos tintos citados na harmonização dos queijos de longa maturação (principalmente os Barolos e Barbarescos) podem harmonizar bem com os queijos azuis, mas talvez não sejam capazes de satisfazer da mesma forma que os vinhos doces.

O encontro dos aromas e sabores dos tipos de vinhos e de queijos é um dos maiores prazeres que um bom amante da boa culinária pode ter.

Portanto, não tenha medo e experimente diferentes combinações. E, junto com o queijo você também pode juntar frutas e pães para deixar a degustação de vinhos ainda mais saborosa.